03/05/2014

Over Again: Capítulo 22

Meu novo-velho amor.

I am just a stranger that entered your world [...] I know that you love me and my heart calls your name,
 But this is not the right time... this is not the right day. -Not The Right Day/Lu Alone


SeuNome Pov’s on.

Flasback on.

Megan me deu um tapa na cara e aquilo me fez ficar com muita, mas muita raiva dela 
mesmo. Olhei pro Liam e ele estava me olhando, ele ia vir mas o Niall o barrou, depois disso um dos meninos me chamou de groupie e eu não consegui ouvir quem era que falou, mas 
eu só pude gritar “EU NÃO SOU UMA GROUPIE”
Megan: ELES JÁ SABEM QUERIDINHA! NÃO ADIANTA FAZER ESSE TEATRINHO!
Eu: Olha eu não queria não, mas o meu sangue de brasileira ta começando a ferver garota, 
e se eu invocar o Anderson Silva aqui, VOCÊ VAI MORRER! –Megan me deu outro tapa 
na cara e eu dei um outro na cara dela e nós começamos a brigar em pleno restaurante, 
mas logo o Erick pegou a Megan e o Liam me segurou para pararmos de brigar, foi quando Liam disse algo.
Liam: PARA! PARA VOCÊS DUAS! PARA AGORA! CHEGA DISSO!

Megan começou a falar coisas sem sentidos, ela já nem sabia mais o que falar e eu vi meu coração se apertar a cada segundo, eu não ia conseguir, eu tive que falar tudo que já estava entalado aqui na minha garganta. Eu cuspi a as palavras e cada vez mais ela ficava com mais raiva de mim, mas eu não ia conseguir levar isso mais adiante. Eu precisava falar, na frente 
de todo mundo. A cada palavra que eu ia dizendo era um soluço ou uma lagrima que 
escorria sem eu nem perceber direito, quando eu vi eu já me encontrava sem forças nos braços de Liam. Falei tudo. E falei sem medo. Mas meus ouvidos doeram muito quando eu escutei o que a Megan disse para o Erick.

Megan: CALA A BOCA, ERICK! VOCÊ NÃO PASSA DE UM PERDEDOR QUE ESTA A BEIRA 
DA MORTE! –o restaurante todo ficou em silêncio.
Xxx: MEGAN! –seu pai gritou com ela e o olhou com raiva.

Os olhos de Erick se encheram de lágrimas rapidamente e meu coração se quebrou em pedaços, pareceu que tudo ficou em câmera lenta, as lágrimas desciam, como assim a beira 
da morte? Erick tinha alguma doença? Como a Megan poderia ser uma pessoa tão insensível ao ponto disso? Vi o Liam boquiaberto como os meninos, sem saber o que fazer. Só raiva no olhar, por Megan ter falado aquilo. Erick tentava falar mas nada saia de sua boca. Ele apenas olhou pra ela e me olhou chorando e saiu correndo.

Flashback off.

Eu: ERICK NÃO! ERICK ESPERA, POR FAVOR! ERICK! –meu olhos se encheram de lágrimas 
e meu pai estava ali parado sem saber o que falar, os meninos se juntaram mais pra perto 
do meu pai e só observavam- Você é um monstro! –eu olhei pra Megan- Co..como assim, a beira da morte?
Megan: Ah então seu amiguinho não te contou? Vocês estavam tão juntos que eu achei que 
ele já tinha lhe contado tudo. Erick tem Osteossarcoma. Ele tem câncer nos ossos. E falta pouco pra ele morrer. –pareceu que tivesse enfiado mil facas dentro do meu peito... 
O Erick... Ele tem câncer... Isso não é possível. Eu me apeguei muito no Erick, isso não pode ser verdade.
PaiDela: MEGAN EVANS! Você não tem o direito de falar assim. Isso é uma coisa séria! 
O que aconteceu com você? Você não era assim.
Harry: Megan! Que horror! Como você pode falar assim, garota? Ele é seu irmão.
Megan: Meio-irmão.
Zayn: Mesmo assim. Você tem o que no lugar do coração? Pedra?
Eu: Ele.. tem câncer?
MãeDele: Sim querida... ele tem, câncer nos ossos. Mas ele está bem. –ela tinha os olhos vermelhos, querendo chorar.
Eu: Como bem? Ele... NÃO! –eu comecei a chorar desesperadamente, o Erick não pode morrer, o Erick.. Não meu Deus, por favor!.
Liam: SeuNome, se acalma por favor... Vai ficar tudo bem, ele vai ficar bem.
Pai: O que está acontecendo aqui? –era a primeira vez que meu pai se pronunciava- SeuNome?
PaiDela: Vamos embora, Megan! Anda. Já passamos vergonha por mais hoje!–ele pegou 
com força no braço dela e eu só vi eles saindo do restaurante-
Zayn: Olha... acho que deveríamos ir embora, também!
Louis: Mas eu to com fome..
Harry: Louis!
Louis: Ok, tudo bem. Minha barriga pode esperar.
Liam: Você quer uma carona? Nós podemos levar você e seu pai pra casa, tudo bem? –Liam me virou de frente pra ele e me olhou nos olhos preocupado.
Pai: Não precisa rapaz. Eu chamo um táxi. Só preciso saber o que esta acontecendo aqui. Eu não to entendendo nada... SeuNome, filha... porque você não me disse que estava sofrendo bullying? Isso nunca aconteceu com você. Você tinha que ter me falado!
Eu: Eu não queria te preocupar pai... Você estava tão ocupado com o trabalho!
Pai: SeuNome, você precisa me contar! Você é minha filha, a única coisa que importa pra 
mim. Estamos sozinhos aqui, você sabe! –eu sai dos braços de Liam e fui abraçar meu pai.
Eu: Eu sei... Desculpa, eu sinto tanta falta da mamãe. –eu chorei em seus braços.
Pai: Eu sei filha. Mas você promete que qualquer coisa, vai me contar?
Eu: Prometo.
Pai: Então ta bom. –ele sorriu tentando me passar confiança e beijou o topo da minha 
cabeça.
Liam: Eu... insisto, vocês não precisam pagar um táxi. Nós estamos de van e os meninos 
não se importam.
Louis: Não mesmo.
Harry: Vocês podem ir conosco.
Zayn: Sem problema algum.
Pai: Hn... não quero incomodar. Afinal de conta, eles não são aquela bandinha que ta colada na parede do seu quarto?
Eu: Ai pai... –os meninos riram.
Pai: CARAMBA! São eles mesmo... Esse da pintinha, é o que tu gosta.
Eu: PAI! –Liam sorriu e os meninos riram.'
Louis: Sim, somos nós.
Niall: E não, vocês não vão incomodar.
Pai: Não acho uma boa idéia.
Harry: Ah qual é, tio. Nós só vamos te deixar em casa. Está tudo bem.
Pai: Tudo bem, precisamos ir para casa.
Liam: Então vamos? –ele me olhou.
Eu: Vamos...

SeuNome Pov’s off.

Erick Pov’s on.


Meu coração doía cada vez mais. Porque a Megan tem que me lembrar de cinco em cinco minutos que eu vou morrer? Eu odeio ela. Ela só sabe estragar a vida das pessoas. Mas no momento eu estava mais preocupado com a minha, eu descobri que tenho câncer a 1 ano atrás, um câncer nos ossos. E sim, eu vou morrer. Mas não agora. Não queria que a 
SeuNome soubesse assim, dessa forma. Eu ia contar á ela. Eu juro que ia, um dia. Ela descobriu da pior forma possível, eu não tive coragem de continuar lá. Megan mexeu com 
uma parte minha que é muito frágil. Estava andando a um bom tempo e totalmente sem rumo, não sabia pra onde eu estava indo, só continuava andando olhando pra baixo quando eu trombei com uma menina.

Xxx: AI MEU SANTO DEUS! –só vi várias folhas sendo espalhadas pelo chão e um livro 
cair.
Eu: Me desculpa, eu juro que eu não a vi. Desculpa mesmo. –eu agachei na mesma hora 
que ela e peguei suas folhas juntado em um bloco só- A culpa é das Estrelas. É um ótimo 
livro. –ri irônico e olhei o livro que me fez lembrar que eu tinha o mesmo problema que o protagonista.
Xxx: É um livro lindo. –ela levantou o rosto e sorriu- E-Erick... –ela me olhou nos olhos, 
porém eu ainda estava perdido em seu sorriso. Sim era a Beatriz, e eu confesso que eu 
sempre tive uma queda por ela. Só que eu nunca conseguia falar nada com ela. Até agora.
Eu: Bea..triz... Me desculpa! –ela levantou rápido.
Beatriz: Está.. está, tudo bem. –ela sorriu- Você está bem? Seus olhos estão inchados. –ela 
me olhava preocupada.
Eu: Não quero falar sobre isso.
Beatriz: Ok.
Eu: Desculpa, eu não queria ser grosso. É só que... Megan... você sabe né? –coloquei a mão 
atrás da cabeça e cocei.
Beatriz: Sim, eu sei como ela é inconveniente. Como você aguenta ela?
Eu: Nem eu sei. –eu ri- Você... gostaria de... hn, comer alguma coisa? Eu estou com um 
pouco de fome e não quero comer sozinho. –ela corou e eu sorri.
Beatriz: O que? –eu ri- Quer dizer... Aceito! –ela sorriu.
Eu: Tudo bem pra você se formos no Starbucks? Hoje é domingo e essa hora ás vezes quase 
não tem gente, por aqui.
Beatriz: Sem problemas.
Eu: Tudo bem então. Vamos lá.

Nós fomos andando e conversando até chegarmos no Starbuck e cada vez mais eu ficava 
mais apaixonado por ela, sem ela saber, ela era especial. Ela era diferente das outras 
meninas. Mas eu não posso confiar a minha vida a ela sabendo que um dia eu vou morrer. 
Não posso fazer isso com ela. Mas... Eu tenho que viver. Não! Eu não posso fazer isso com ela.

Beatriz: ERICK? –ela gritou no meu ouvido e eu levei um susto.
Eu: O que foi? –olhei espantado para ela.
Beatriz: Você me deixou falando sozinha. Eu falo tanto assim? –ela riu e eu gargalhei.
Eu: Não. Não é isso, me desculpa. Eu fiquei distraído.
Beatriz: Nós já chegamos.
Eu: Então vamos entrar né. –sorri e entramos.
Beatriz: Aqui acho que está bom. Eu gosto de me sentar aqui.
Eu: Eu também. –sorri e ela corou- Então, o que você vai querer?
Beatriz: Ah nada. Não precisa, obrigado.
Eu: Ah qual é? Você não vai me negar um lanche né? –sorri.
Beatriz: Eu não estou com fome. –ela deu um risinho.
Eu: Por favor. Um bolinho. –sorri.
Beatriz: Tudo bem, tudo bem. Um bolinho de chocolate, pode ser? –ela se deu por vencida.
Eu: Ok, já venho. –sorri e fui ao balcão.

***

Beatriz: Isso aqui ta muito bom. –ela falou com o bolo na boca e eu apenas gargalhei de 
como ela ficava fofa assim.
Eu: Você fica fofa assim. –ela corou novamente e eu gargalhei de novo.
Beatriz: Desculpa, isso foi falta de educação. Eu sei. –ela riu e eu bebi um gole do meu 
cappuccino e ela começou a rir da minha cara.
Eu: O que? O que foi? –eu acabei rindo também.
Beatriz: Você... Você... –ela ria cada vez mais e eu não tava entendendo nada.
Eu: Eu o que? Oras. –eu ria mais.
Beatriz: Ta com bigodinho. –ela sorriu e começou a rir novamente.
Eu: Ahhhh ta. –eu lambi o bigodinho de cappuccino e depois sequei com um papel- Isso 
sempre acontece.
Beatriz: Você é amigo da SeuNome né?
Eu: Aham. –sorri.
Beatriz: Ela é uma boa pessoa.
Eu: Pena que sofre nas mãos da Megan.
Beatriz: Qualquer pessoa sofre nas mãos da Megan.
Eu: É. Isso é verdade. –inspirei e ela percebeu que eu não quis mais tocar no assunto- Você.. gosta de livros?
Beatriz: Muito! Eu adoro, na verdade eu amo. E você?
Eu: Eu também. Os livros são a minha vida na verdade. Eu tenho um livro lá que acho que 
você vai gostar. Tenho muitos na verdade.
Beatriz: Então... me empresta qualquer dia?
Eu: É claro. Eu levo pra escola.
Beatriz: Aqui também tem livros bem legais. Naquela prateleira. –ela apontou.
Eu: Eu sei. –sorri- Ás vezes eu venho aqui só pra ficar lendo um pouco. Me distrair de tudo. 
É bom.
Beatriz: Uhum. –ela comeu o ultimo pedaço de bolo e de repente o celular dela apitou- Ai 
meu Deus! Já é isso tudo?
Eu: O que? O que foi? –perguntei preocupado enquanto ela levantava.
Beatriz: Me desculpa. Me desculpa mesmo. Mas eu tenho que ir Erick...
Eu: O que? Por que? Como assim?
Beatriz: Foi ótimo passar a tarde aqui com você. Mas... é... tchau!
Eu: NÃO! –eu gritei e ela parou na porta do Starbucks- Quando... podemos lanchar de novo?
Beatriz: Ta me chamando pra um encontro?
Eu: Pode preferir assim também. –eu sorri.
Beatriz: Amanhã eu falo com você na escola.

Eu: Tudo bem. Tchau pequena! –sorri e ela sorriu envergonhada correndo- É... fiquei sozinho. Outra vez. Eu gosto da Beatriz. Eu gosto mesmo...

Erick Pov’s off.


2 comentários:

  1. Ahhhh ameiii continuaaa pff nao demora tanto pra postar anjo
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Ta muito bom continua logo pfvr

    ResponderExcluir

Oii cenourinhas!
Sejam bem-vindas (:
O comentário de vocês são importantes para nos.
Então comenta princesa ;3